Fuchs Gewürze do Brasil - Soluções que dão Sabor à Vida

Curiosidades

Arte Fuchs 1

As especiarias se destacam como uma fonte de alimento com um relevante papel na História. Por causa delas ocorreram guerras, descobrimentos de novas terras, abertura de rotas comerciais, entre outros acontecimentos. Não se sabe exatamente desde quando, mas são utilizadas por povos orientais há milhares de anos. Transportadas por rotas marítimas, esses alimentos atravessaram inicialmente apenas os oceanos Pacífico e Índico.
Na antiguidade, as especiarias serviam como tempero para as carnes, tornando-as comestíveis. A pimenta era a mais importante, devido ao sabor e ao aroma fortes que disfarçavam o mau cheiro. Além disso, mantinham o sabor da carne que, por desconhecimento de métodos de conservação, muitas vezes apodreciam. O açafrão também desde aquela época já era utilizado como tempero para carnes. Há uma enorme diferença entre a culinária dos países do Oriente e do Ocidente. Em regra geral, a cozinha dos países meridionais é feita de comidas apimentadas e quentes, ao contrário do que ocorre no Norte, que reserva às especiarias um lugar menos comum. No Oriente, os chineses só fazem seus pratos com muita dose de pimenta, gengibre e aromas doces, numa mistura típica e diferente.

No final de Idade Média, elas só eram compradas das mãos de comerciantes que as traziam de cidades da África e da Ásia para revender a preços altos na Europa. Mais tarde, com a chegada dos navegantes europeus ao continente americano, outros temperos foram descobertos, como a noz-moscada. Vindas de terras distantes, as especiarias pareciam envoltas numa nuvem de magia e mistério, pois muitas, além de servirem como condimentos, tinham propriedades medicinais, que aos poucos foram descobertas.
Portugal foi um dos países que aumentaram muito suas riquezas com o comércio das especiarias trazidas principalmente da Índia. O navegador português Vasco da Gama foi o primeiro que chegou a Calicute, na Índia, estabelecendo uma nova rota marítima entre seu país e o Oriente para o transporte desse “tesouro vegetal”. O tempo passou e as especiarias deixaram de ser exclusividade da mesa dos mais ricos. Novas terras foram descobertas, como o Brasil, e nelas passaram a ser cultivados alguns desses produtos. Com isso, o mais simples dos pratos passou a ter mais sabor.

 

Dicas:

> Na cozinha não podemos nos limitar ao alho e à cebola na hora de temperar nossas receitas. Temos que ousar e incrementar as receitas com ervas e especiarias.

> Porém, quando não conhecemos o tempero, devemos adicioná-lo com cuidado e não devemos misturá-lo a outros temperos.

> Não exagere na quantidade, pois algumas especiarias têm sabor picante. Por isso, acrescente apenas uma pitadinha e experimente. Se achar necessário, acrescente um pouco mais.

 

 

O mundo das especiarias e temperos

 

Orégano

Pensar em orégano é pensar em pizza. Não tem como não fazer essa conexão, pois o orégano é o tempero principal para qualquer boa pizza, por combinar com perfeição com tomates e queijos e ter um aroma único. Mas orégano vai muito além da pizza. Fica perfeito com tomates, queijos, omeletes, molhos e ainda em saladas, legumes e vegetais.
Uso Medicinal: Chá de orégano é indicado para tosse, dor de cabeça e alívio de enjoo.
Curiosidade: A palavra “orégano” tem origem grega e quer dizer “alegria da montanha”.

¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨

Cúrcuma

A cúrcuma, também conhecida como açafrão da terra, é uma planta da família do gengibre. O seu pó amarelo é comumente usado como condimento e corante para dar sabor ou cor a diversos alimentos.
No entanto, o uso da cúrcuma não fica restrito somente à culinária. Este alimento contém um ingrediente ativo chamado curcumina, que possui propriedades anti-inflamatórias, antioxidantes e antibacterianas.

Benefícios da cúrcuma

Um estudo publicado na revista Phytotherapy Research indica que o ingrediente ativo do açafrão, a curcumina, tem potenciais efeitos antidepressivos. A cúrcuma também tem se mostrado promissora nas seguintes áreas, de acordo com alguns trabalhos de pesquisa:

– Tratamento de condições inflamatórias;
– Diabetes;
– Perda de peso;
– Redução do risco de doença cardíaca;
– Artrite;
– Resfriados;
– Redução do colesterol.

¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨

Cardamomo

O cardamomo se constitui em sementes de uma planta da família do gengibre, que nascem dentro de uma cápsula de cor verde. Nativo do sul da Índia, conhecido como a rainha das especiarias. É colhido verde e colocado para secar tradicionalmente em fornos a carvão por 3 dias. O maior exportador é a Guatemala, onde ele é processado em máquinas modernas.
É uma especiaria muito antiga, usada pela primeira vez pelos primitivos egípcios e, mais tarde, pelos antigos gregos e romanos. Chegou à Europa através das velhas rotas das caravanas e, depois do açafrão e da baunilha, é a especiaria mais cara. O cardamomo é usado mais intensamente na Índia e no Oriente Médio. Na França e nos Estados Unidos, seu óleo é utilizado em perfumaria. A planta cresce na costa do Malabar, na Índia, enquanto uma outra variedade cresce no Sri Lanka, México e Guatemala.
Membro da família do gengibre, é um arbusto alto, perene, com folhas lanceoladas e pedúnculos florais curtos. Depois da floração, os pedúnculos exibem pequenas cápsulas verdes cheias de sementes, que têm de ser colhidas manualmente. Estas cápsulas contêm até 20 sementes aromáticas. As cápsulas verdes do cardamomo são as mais comuns. As cápsulas castanhas não são do verdadeiro cardamomo, mas de uma variedade aparentada.
Para realçar o aroma das sementes de cardamomo, deve-se torrá-las previamente. Abra o invólucro da cápsula e retire as sementes pegajosas castanho-escuras. Aqueça uma frigideira, coloque nela as sementes e mexa até que fiquem completamente torradas.

Utilização na gastronomia

Na Índia é mastigado após as refeições, também usado para branquear os dentes e refrescar o hálito. O cardamomo aromatiza pratos salgados, doces e bebidas como café e chá. Fica delicioso no chocolate quente.
Combina muito bem com baunillha e açafrão, com frutas cítricas, maçãs, peras, mangas e com salada de frutas ou frutas cozidas. Fica maravilhoso em preparações com leite, creme ou iogurte, como sorvetes, pudins e arroz doce.
Na Escandinávia é usado na confeitaria para aromatizar bolos, tortas e biscoitos. É um componente essencial de várias misturas de temperos indianos e árabes. Pode ser usado em marinadas para carnes e frango, além de combinar muito bem com arroz.

Utilização na indústria

Seu óleo essencial é usado em xaropes, remédios para tosse, em cosméticos e em perfumes. Na indústria alimentícia é usado em bebidas, comidas congeladas e gelatinas.

Performance

Pode ser usado inteiro ou moído. Pode ainda ser tostado a seco ou em óleo antes de ser adicionado à preparação. Com ou sem casca, mas quando com casca deve ser amassado para uma melhor extração do sabor.
O cardamomo passeia entre pratos doces e salgados com excelente performance. É essencial em um grande número de pratos indianos, além de ser utilizado extensivamente na culinária escandinava. Vai bem com bolos, licores, cafés, picles, ponches, vinhos aromatizados, cremes e pratos com frutas.

¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨

Páprica

As pápricas mais conhecidas são a húngara e a espanhola. Os países produtores também fabricam e vendem a páprica seca inteira, em pasta, em picles e o molho de páprica. A páprica pode ser moída com ou sem as sementes, que são mais pungentes e de cor mais clara do que o fruto. Por isso, normalmente a páprica vermelha escura é doce e a clara é mais picante. Mas isso não é regra geral porque também existem diversas variedades de pimentão e de pimenta que dão origem à especiaria.
A páprica no Brasil só é vendida de duas formas: a picante e a doce, mas existe ainda a agridoce e diversas classificações para a especiaria, que variam de acordo com a qualidade da matéria-prima e técnicas de processamento. A páprica de pó mais fino é considerada de melhor qualidade.

Utilização na gastronomia

A páprica dá cor e sabor aos alimentos. Não deve ser substituída pelo urucum, que tem cor parecida, mas sabor bem diferente. Combina com carnes de todos os tipos, frango e frutos do mar. Um dos pratos mais famosos feitos com ela é o gulash húngaro, um delicioso ensopado de carne.

Na indústria

É usada em salsichas e carnes processadas, substituindo corantes artificiais. Combina muito bem com ovos e queijos. Ela tempera deliciosamente o arroz, massa e quase todas as verduras. É muito usada em misturas de temperos porque ajuda a unir os outros ingredientes. Deve ser guardada ao abrigo da luz e oxigênio, pois perde seu sabor e aroma com facilidade.